Estratégia de Atuação


Traçar as grandes estratégias do Conglomerado, tomar decisões financeiras abrangentes que determinam o planejamento macroeconômico das empresas controladas e gerir a sustentabilidade nos negócios são os principais objetivos da Itaúsa.

As empresas são autônomas em sua gestão diária e na definição de estratégias. Em comum, existe o alinhamento aos valores e princípios, a ética e a qualidade, que asseguram a geração de valor para seus públicos de relacionamento na prestação de melhores serviços nas respectivas áreas de atuação.

Rumo ao mercado internacional, a abertura da unidade do Itaú Unibanco na Suíça foi autorizada pelo governo daquele país. O banco Itaú Suisse, localizado na cidade de Zurique, atende clientes que buscam oportunidades de investimentos globais. Eles contam com a expertise e estrutura do maior private bank do hemisfério sul e com parcerias com instituições financeiras locais de primeira linha.

Na mesma linha de globalização dos negócios do Conglomerado Itaúsa, foi assinado acordo comercial e de cooperação com a China UnionpayCo. Ltd. (CUP), que permitirá aos clientes do banco chinês realizar saques nos mais de 30 mil caixas eletrônicos do Itaú Unibanco. Com presença em mais de 90 países e sede em Xangai, a CUP conta com mais de 400 instituições associadas.

Em novembro de 2010, a empresa Duratex assinou proposta vinculativa de aquisição da totalidade das quotas sociais da Elizabeth Louças Sanitárias Ltda., operação concluída em fevereiro de 2011. Esta unidade industrial, localizada em João Pessoa (PB) irá incrementar 1,8 milhão de peças anuais à capacidade atual. A transação foi efetivada mediante pagamento de R$ 80 milhões, investimento que contribuirá para a ampliação da participação da Deca no nordeste do Brasil.

Na Divisão Deca, outros destaques importantes são os investimentos para a expansão de capacidade de louças sanitárias da unidade de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, e reativação e expansão da unidade de Queimados, no Rio de Janeiro, o que elevará a capacidade para 11,7 milhões de peças anuais, incluída a aquisição, 63% acima da base atual.

O segmento de metais sanitários também está sendo beneficiado com investimentos para a expansão da sua unidade de Jundiaí (SP) que, quando concluída, atingirá capacidade de 18,2 milhões de peças anuais, 15,2% acima da atual. O total dos investimentos previstos para estes projetos são de aproximadamente R$ 400 milhões a serem realizados entre 2010 e 2012.

No segmento de madeiras e derivados, em 2010, a Duratex adquiriu em leilão 8.671 hectares de terras com florestas plantadas, localizadas no estado de São Paulo, que do ponto de vista da logística e produtividade florestal permitirão o fornecimento de madeira em condições bastante favoráveis de custo às futuras expansões na região. Com essa aquisição, a área total ocupada pelas florestas da Duratex soma 225 mil hectares, sendo 52% em terras próprias e 48% em terras arrendadas.

A Itautec encerrou o ano em plena reestruturação. Em 2010 promoveu de forma intensa um novo posicionamento estratégico em todas as áreas da empresa. O trabalho focou no fortalecimento da capacidade da empresa competir diante das novas exigências de mercado. Houve uma transformação interna, inclusive com mudanças na estrutura organizacional, na busca da capacidade de competir em todas as suas áreas: produção, serviços e comercialização de produtos.

Com reflexos no portfólio de produtos e serviços da Itautec, assim como na gestão da empresa, houve também o fortalecimento da capacidade em gerenciar capital de giro, resultando em um forte posicionamento de caixa.

No segmento de automações a Itautec, fabricou e instalou 12,2 mil equipamentos de automação bancária (ATMs) e 4,1 mil terminais de autoatendimento, entre outros dispositivos, para grandes instituições financeiras em diversas regiões do país. As novas oportunidades de negócio foram resultado do aumento da busca de novas tecnologias relacionadas à modernização das agências, com foco na maior conveniência do atendimento aos clientes e na melhoria dos processos operacionais.

Na Elekeiroz, a dinâmica da governança corporativa foi responsável por uma nova estratégia de gestão. Com a reestruturação dos Conselhos e Comitês, com participação de profissionais independentes, a empresa trabalhou na revisão do Plano Estratégico previsto para os próximos cinco anos e definiu os investimentos prioritários em cada um de seus sites industriais. O foco está nas expectativas de crescimento de mercado, nos ciclos de produção e manutenções obrigatórias, na concorrência com os importados e no uso de matérias primas renováveis aliadas aos preceitos da sustentabilidade e como alternativa à dependência do petróleo.

Como fruto do controle que mantém sobre suas emissões atmosféricas, a Elekeiroz implantou um projeto de recuperação de dióxido de carbono no site de Camaçari (BA). A capacidade instalada de recuperação é de 10 mil toneladas por ano. O dióxido de carbono (CO2) recuperado é vendido para uma empresa produtora de gases industriais, que o recebe por tubovia e o incorpora a sua matriz de produtos comercializáveis. Anteriormente, este gás era lançado na atmosfera.

No momento estão em expansão na Elekeiroz as unidades de Resinas de Poliéster Insaturado e de Ácido2-Etil-Hexanóico, ambos com previsão de conclusão em 2011, aumentando a capacidade de oferta da empresa ao mercado consumidor.

Está previsto ainda para o ano de 2011 a revisão final dos estudos de viabilidade econômica do ácido acrílico, acrilatos e polímeros super absorventes. Após essa revisão final, o orçamento do empreendimento será mais uma vez examinado e aprovado pelos Conselhos de Administração da companhia e da Itaúsa.

topo