Palavra Descrição
Rating Análise efetuada sobre os títulos emitidos por uma empresa/governo, que avalia a qualidade de crédito do emissor. As mais conhecidas empresas internacionais que efetuam estas análise são: Standard&Poor's, Moody's, Duff&Phelps e Fitch Investors Services.
RDB - Recibo de Depósito Bancário É uma promessa de pagamento, à ordem da importância do depósito, acrescida dos juros convencionais, se forem prefixados, e dos juros mais correção monetária, se forem pós-fixados. O RDB não permite retirada antecipada e nem negociação no mercado secundário.
Recibo da Telebrás Cesta de 13 ações, que contém papéis das 12 holdings criadas com a cisão da Telebrás, além das ações da própria Telebrás.
Redesconto É um instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central para regularizar o sistema de liquidez do sistema bancário.
Reinvestimento dos Dividendos Oportunidade de investir os dividendos recebidos e disponibilidades adicionais em ações da empresa. A adesão é usualmente voluntária e oferece a oportunidade de investir automaticamente os dividendos nas ações, com algumas vantagens na precificação e custo da operação.
Renda Fixa São aplicações financeiras com prazos e rendimentos pré-conhecidos.
Renda Variável São aplicações financeiras cujo rendimento é incerto, devido à maior volatilidade dos ativos que os compõem.
Resistência É uma linha de preços históricos que, inversamente à linha de suporte, indica uma potencial interrupção de uma tendência de alta e/ou um potencial início de movimento de baixa dos preços de um ativo.
Resultado Primário Diferença entre a arrecadação e os gastos do governo, exceto aqueles relativos ao pagamento de juros sobre a dívida pública.
Risco Brasil É uma tentativa de quantificar o risco de se investir no país. Este risco é expresso em pontos ou em taxa ao ano, dado pela diferença entre o que se recebe para investir no Brasil (através de seus diversos títulos) em relação aos títulos do tesouro dos EUA, considerados os ativos mais seguros do mundo. Tome como exemplo o investidor internacional comprando um título da dívida externa do Brasil no mercado internacional. Desta forma, quanto maior for esta medida, maior o risco percebido e maior são os retornos requeridos para se aplicar em ativos do país (e vice-versa). O risco é determinado levando-se em consideração diversos indicadores financeiros e políticos do país, tais como déficit fiscal, crescimento da economia, solidez das instituições, etc.
Risco de Bolsa É o risco de variações nos preços dos ativos negociados em Bolsa (ações, futuros, opções etc).
Risco de Crédito É o risco de que o emissor do título (Debênture, Nota Promissória, Commercial Paper, etc) possa não honrar o principal e/ou o pagamento de juros.
Risco de Inflação Um aumento na inflação acima das expectativas dos agentes econômicos pode corroer os ganhos da aplicação, especialmente para os títulos com rentabilidade prefixada.
Risco de Liquidez de Mercado Em função das condições econômicas (normalmente durante crises) os mercados de ativos podem passar por períodos em que haja uma limitação da sua liquidez, ou seja não há compradores e/ou vendedores para alguns desses ativos, dificultando a execução de ordens ou impactando os preços dos ativos negociados.
Risco de Mercado Este tipo de risco está associado à possibilidade de desvalorização ou de valorização de um ativo, devido a alterações políticas e econômicas gerais tanto nacionais como internacionais ou em decorrência da situação individual de uma empresa ou banco. É o risco que todo ativo financeiro corre de ter seu preço valorizado ou desvalorizado, em conseqüência de alterações políticas, econômicas, sociais, etc - nacionais e/ou internacionais.
Risco de Oscilação de Taxas de Juros Este risco está ligado à possibilidade da variação da taxa de juros durante o período de um investimento. Por uma exigência do Banco Central do Brasil, a rentabilidade dos fundos prefixados é calculada pela variação do preço dos títulos em carteira de cada fundo. Se o Banco Central aumentar as taxas de juros, o valor atual desses títulos prefixados sofre uma redução. Isto ocorre porque o valor de resgate dos títulos prefixados não se altera, mas o valor atual sofre uma redução para adequar-se à nova taxa de juros. Esta redução do valor dos títulos é repassada ao valor da cota e conseqüentemente à rentabilidade do fundo. De forma contrária, no caso de uma redução das taxas de juros, o valor dos títulos em carteira subirá.
Risco Não-Sistêmico Este risco está diretamente relacionado à situação econômico-financeira da empresa emissora de ações.
Risco Sistêmico Risco inerente às variações das economias nacional e internacional, afetando as taxas de juros, câmbio e os preços dos ativos em geral.
Risco Variação Cambial ou de Moeda Este tipo de risco está associado à oscilação da taxa de câmbio, principalmente no dólar. Estas oscilações podem valorizar ou desvalorizar as cotas de fundos, dependendo da estratégia assumida.
Roadshows Apresentação itinerante de alternativas de negócios financeiros para investidores, especialmente investidores institucionais especializados em negócios globalizados.
ROE Retun on Equity - Retorno sobre o Patrimônio Líquido, ou seja, é a relação entre o lucro líquido de um determinado período dividido pelo patrimônio líquido.