Política de Negociação



Itaúsa - Investimentos Itaú S.A.

CNPJ 61.532.644/0001-15
Companhia Aberta
NIRE 35300022220

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

(aprovada na RCA de 31.7.2002 e alterada nas RCA's de 9.5.2005, 8.5.2006, 1º.3.2010, 19.12.2011, 7.5.2012 e 11.8.2015)

1. PRINCÍPIOS GERAIS

1.1. A Política de Negociação de Valores Mobiliários ("POLÍTICA") estabelece diretrizes e procedimentos a serem observados pela companhia e pessoas a ela vinculadas conforme o disposto no subitem 2.1, para a negociação de valores mobiliários de emissão da companhia, ou a eles referenciados, e para a divulgação das informações previstas nos itens 5 e 6 infra, nos termos da Instrução CVM nº 358, de 3 de janeiro de 2002, alterada, assegurando transparência da negociação a todos os interessados, sem privilegiar alguns em detrimento de outros.

Administração da POLÍTICA

1.2. Compete ao Diretor de Relações com Investidores a administração geral da POLÍTICA.

Comitê de Ética Divulgação e Negociação

1.3. O Comitê de Ética, Divulgação e Negociação é presidido pelo Diretor de Relações com Investidores, e é composto por 2 (duas) a 10 (dez) pessoas indicadas anualmente pelo Conselho de Administração entre os membros desse próprio Conselho e da Diretoria da companhia e de subsidiárias, e reunir-se-á sempre que convocado pelo Diretor de Relações com Investidores.

1.3.1. É de competência do Comitê de Ética, Divulgação e Negociação, no que tange à POLÍTICA:

a) aconselhar o Diretor de Relações com Investidores;

b) revisá-la, recomendando ao Conselho de Administração as alterações pertinentes;

c) deliberar sobre eventuais dúvidas de interpretação do seu texto;

d) determinar as ações necessárias para a sua divulgação e disseminação;

e) apurar e decidir casos de violação;

f)  analisar questionamentos oficiais dos órgãos reguladores e autorreguladores e opinar no conteúdo das respostas; e

g) propor solução  para  os  casos  omissos  e excepcionais.

Aprovação ou Alteração da POLÍTICA

1.4. A POLÍTICA não poderá ser aprovada ou alterada na pendência de ato ou fato relevante ainda não divulgado.

2. PESSOAS SUJEITAS À POLÍTICA

Rol de pessoas sujeitas à POLÍTICA

2.1. São denominadas Pessoas Vinculadas, sujeitas à POLÍTICA:

a) os acionistas controladores, diretos ou indiretos, com controle exclusivo ou compartilhado, diretores, membros do Conselho de Administração, do Conselho Fiscal e de quaisquer órgãos com funções técnicas ou consultivas, criados por disposição estatutária;

b) os membros de órgãos estatutários de empresas na qual a companhia seja a única controladora;

c) quem quer que, em virtude de cargo, função ou posição na companhia, sua controladora, suas controladas ou coligadas, tenha conhecimento de informação relevante;

d) o cônjuge ou companheiro(a) e qualquer outro dependente incluído na declaração anual de imposto de renda das pessoas indicadas nas letras "a" e "b", inclusive durante o prazo de 6 (seis) meses contados da data do afastamento dessas pessoas;

e) as pessoas mencionadas nas letras "a", "b" e "c" deste subitem que se afastarem da companhia ou das empresas na qual a companhia seja a única controladora, durante o prazo de 6 (seis) meses contados da data do afastamento; e

f)  aqueles que tenham relação comercial, profissional ou de confiança com a companhia, tais como auditores independentes, analistas de valores mobiliários, consultores e instituições integrantes do sistema de distribuição.

2.1.1. Equiparam-se às Pessoas Vinculadas:

a) os administradores da carteira e dos fundos de investimento, sociedades ou outras instituições ou entidades de que as Pessoas Vinculadas sejam os únicos cotistas ou acionistas ou nas quais possam influenciar as decisões de negociação;

b) qualquer pessoa jurídica controlada direta ou indiretamente pelas Pessoas Vinculadas; e

c) qualquer pessoa que tenha tido acesso a informação relativa a ato ou fato relevante por intermédio ou não de qualquer das Pessoas Vinculadas.

3. VEDAÇÕES À NEGOCIAÇÃO

Vedação à negociação anterior e posterior à divulgação de ato ou fato relevante

3.1. A companhia e as Pessoas Vinculadas não poderão negociar com valores mobiliários de emissão da companhia, ou a eles referenciados, desde a data da ciência até o dia da divulgação, inclusive, do ato ou fato relevante ao mercado.

3.1.1. O Diretor de Relações com Investidores poderá manter a vedação prevista no subitem 3.1, além do dia da divulgação da informação relevante, sempre que, a seu critério, a negociação com os valores mobiliários puder prejudicar a companhia ou seus acionistas.

Períodos excepcionais de vedação à negociação

3.2. O Diretor de Relações com Investidores poderá, independentemente de justificação ou da existência de ato ou fato relevante ainda não divulgado, fixar períodos em que a companhia e as Pessoas Vinculadas não poderão negociar com valores mobiliários de emissão da companhia, ou a eles referenciados. As Pessoas Vinculadas deverão manter sigilo sobre tais períodos.

3.2.1. O Diretor de Relações com Investidores poderá recomendar períodos excepcionais de vedação para as negociações previstas nas Políticas Próprias de que trata o subitem 4.1.

Outras hipóteses de vedação à negociação

3.3. Estará também vedada, exceto o exercício de opções no âmbito do programa de outorga de opções de compra de ações, a outorga de ações no âmbito dos programas de remuneração em ações ou o Programa de Reinvestimento em Dividendos – PRD:

3.3.1. Às pessoas mencionadas nas letras "a" e "b" do subitem 2.1, a negociação de valores mobiliários de emissão da companhia, ou a eles referenciados, no mesmo dia em que a companhia, suas controladas, coligadas ou outra sociedade sob controle comum, negociar ações em tesouraria, ou houver sido outorgada opção ou mandato para o mesmo fim.

3.3.2. Às Pessoas Vinculadas, a aquisição ou alienação de valores mobiliários de emissão da companhia ou a eles referenciados antes de decorridos 180 (cento e oitenta) dias contados, respectivamente, da alienação ou aquisição de valores em bolsa de valores ou em mercado de balcão.

3.3.2.1.  O Diretor de Relações com Investidores poderá, ouvido o Comitê de Ética, Divulgação e Negociação, e em casos individuais, reduzir esse prazo, respeitado, em qualquer caso, o disposto nos subitens 3.4 e 3.5.

3.3.3. Às Pessoas Vinculadas, a negociação, sempre que existir a intenção de promover incorporação, cisão total ou parcial, fusão, transformação ou reorganização societária da companhia.

3.3.4. Às Pessoas Vinculadas, o aluguel de ações ou de qualquer outro valor mobiliário de emissão da companhia, ou a ele referenciado.

3.3.5. Às Pessoas Vinculadas, o lançamento de opções de compra ou opções de venda de ações de emissão da companhia, a venda de ações de emissão da companhia no Mercado a Termo e a negociação de ações de emissão da companhia no Mercado Futuro.

3.3.6. A vedação à negociação aplica-se também no período compreendido entre a decisão, tomada pelo órgão social competente, de aumentar o capital social, distribuir dividendos, bonificar ações ou ativos a elas referenciados, aprovar desdobramento, grupamento, subscrição em ações, e a publicação dos respectivos editais ou anúncios.

Vedação à negociação anterior e posterior à divulgação das demonstrações contábeis da companhia

3.4. A vedação à negociação aplica-se também no período de 15 (quinze) dias anterior (período de restrição): (i) à divulgação das informações trimestrais (ITR) e anuais (DFP) da companhia; ou (ii) à publicação do edital que as colocar à disposição dos acionistas, conforme calendário de divulgação do ano vigente (Anexo A), exceto se a negociação em questão for realizada no âmbito do Programa de Reinvestimento de Dividendos – PRD. Na hipótese de serem divulgadas informações financeiras preliminares ou antecipadas pela companhia, a vedação à negociação aqui prevista deixará de vigorar no dia seguinte ao da divulgação.

Vedações na aquisição para tesouraria

3.5. A companhia não poderá adquirir ações para tesouraria nas hipóteses previstas nos subitens 3.1, 3.2 e 3.4.

3.5.1. O Conselho de Administração da companhia também não poderá deliberar a aquisição ou a alienação de ações de emissão da própria companhia caso tenha sido celebrado qualquer acordo ou contrato visando à transferência do controle acionário da companhia, ou se houver sido outorgada opção ou mandato para o mesmo fim, bem como se existir a intenção de promover incorporação, cisão total ou parcial, fusão, transformação ou reorganização societária da companhia, e enquanto a operação não for tornada pública por divulgação de ato ou fato relevante.

Hipóteses de negociação autorizada

3.6. As vedações constantes desta POLÍTICA não se aplicam, ressalvada a vedação prevista no subitem 3.4:

3.6.1. À aquisição de ações que se encontrem em tesouraria, por meio de negociação privada, no âmbito do exercício de opções no âmbito do programa de outorga de opções de compra de ações, e da outorga de ações no âmbito dos programas de remuneração em ações, ambos aprovados em assembleia geral;

3.6.2. Ao exercício do direito de preferência de subscrição, relativo a ações anteriormente adquiridas; e

3.6.3. Às negociações privadas entre as Pessoas Vinculadas, entendidas como tais as que sejam realizadas fora de bolsa de valores e de mercado de balcão organizado.

4. DIREITOS E DEVERES DAS PESSOAS VINCULADAS

Política de negociação própria

4.1. As Pessoas Vinculadas poderão indicar detalhadamente política de negociação própria ("Política Própria"), observadas as vedações constantes do subitem 3.4. Essas pessoas observarão estritamente essa Política Própria.

4.1.1. A Política Própria terá duração mínima de 6 (seis) meses e será encaminhada de imediato ao Diretor de Relações com Investidores.

4.1.1.1.  Na Política Própria o interessado indicará, aproximadamente, o montante de recursos a serem negociados, ou a quantidade de valores mobiliários de emissão da companhia, ou a eles referenciados, a serem negociados, durante o período de sua duração, e comunicará a área de Relações com Investidores todas as negociações efetuadas no prazo de até cinco 5 (cinco) dias da sua ocorrência.

4.1.1.2.  O Diretor de Relações com Investidores deverá avaliar e comentar a aplicabilidade da Política Própria diante da regulamentação vigente, podendo recusar seu arquivamento na companhia caso essa esteja em desacordo com a POLÍTICA ou com a legislação em vigor.

4.1.1.3.  Observado o subitem acima, a Política Própria será arquivada pelo compliance 15 (quinze) dias antes da primeira negociação nela prevista.

4.1.1.4.  A companhia, através do compliance, manterá controle específico e individualizado de todas as Políticas Próprias e comunicará ao Diretor de Relações com Investidores, com base nas informações previstas no subitem 4.1.1.1, os casos de sua não observância.

4.1.1.4.1. O cancelamento pelo signatário, mediante comunicação ao Comitê de Ética, Divulgação e Negociação, ou a não observância do disposto na Política Própria ensejará o cancelamento automático da referida política na data da comunicação ou do descumprimento, respectivamente. Nova proposta de Política Própria poderá ser apresentada após o prazo de 6 (seis) meses contados da data da comunicação ou do descumprimento, conforme aplicável.

4.1.1.4.2. O Comitê de Ética, Divulgação e Negociação poderá solicitar esclarecimentos adicionais ao signatário de Política Própria nos casos de descumprimento e cancelamento automático.

4.1.1.5.  A Política Própria não poderá ser arquivada nem modificada na pendência de ato ou fato relevante de que tenha conhecimento o interessado, ou, ainda, durante os 15 (quinze) dias que antecederem a divulgação das informações trimestrais (ITR) e anuais (DFP) da companhia.

4.1.2. A companhia, através da área de Relações com Investidores, encaminhará a Política Própria quando requerida por órgãos reguladores e autorreguladores dos mercados em que os valores mobiliários da companhia sejam admitidos à negociação.

Deveres das Pessoas Vinculadas

4.2. Além de observar as vedações à negociação, as Pessoas Vinculadas deverão:

4.2.1. Manter sigilo sobre informações relativas a ato ou fato relevante da companhia e não utilizá-las com a finalidade de auferir vantagem, para si ou para outrem, no mercado de valores mobiliários, zelando para que subordinados e terceiros de sua confiança guardem sigilo sobre tais informações e delas não se utilizem, respondendo de forma solidária com estes na hipótese de descumprimento; e

4.2.2. Utilizar exclusivamente as corretoras de valores mobiliários do Conglomerado para realizar negociação dos valores mobiliários tratados nesta POLÍTICA, as quais possuem um sistema de bloqueio para evitar negociações nos períodos de vedação mencionados no subitem 3.4. Para tanto, deverão ser transferidas para as corretoras de valores mobiliários do Conglomerado as posições em aberto envolvendo valores mobiliários de emissão da companhia que as Pessoas Vinculadas detenham junto a outras corretoras de valores mobiliários, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias a contar da adesão à POLÍTICA.

5. DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO SOBRE NEGOCIAÇÕES DE ADMINISTRADORES E PESSOAS VINCULADAS

Objeto

5.1. Os diretores, membros do Conselho de Administração, do Conselho Fiscal e de quaisquer órgãos com funções técnicas ou consultivas da companhia, criados por disposição estatutária, comunicarão à companhia, através do órgão de assuntos corporativos, que, por sua vez, comunicará à CVM, à BM&FBOVESPA e às outras bolsas de valores e entidades do mercado de balcão organizado nos quais os valores mobiliários da companhia sejam admitidos à negociação, a titularidade e as negociações realizadas com valores mobiliários de emissão da companhia ou de suas controladas ou controladoras abertas, ou a eles referenciados, incluindo derivativos.

5.1.1. A comunicação dar-se-á na forma da "Declaração de Participação Acionária", conforme Anexo B da POLÍTICA, e deverá ser feita no primeiro dia útil após a investidura da pessoa no cargo, ou no prazo máximo de 5 (cinco) dias após a realização de cada negócio.

5.1.2. As pessoas citadas no subitem 5.1 deverão indicar, na Declaração de Participação Acionária, conforme Anexo B da POLÍTICA, os valores mobiliários que sejam de propriedade de cônjuge do qual não estejam separadas judicialmente, de companheiro(a), de qualquer dependente incluído na sua declaração anual de imposto sobre a renda, bem como de sociedades controladas direta ou indiretamente por pessoas mencionadas neste subitem.

6. DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO SOBRE AQUISIÇÃO E ALIENAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO ACIONÁRIA RELEVANTE E SOBRE NEGOCIAÇÕES DE CONTROLADORES E ACIONISTAS

Objeto

6.1. Qualquer pessoa natural ou jurídica, ou grupo de pessoas, agindo em conjunto ou representando um mesmo interesse, que atingir participação, direta ou indireta, que corresponda a 5% (cinco por cento) ou mais de espécie ou classe de ações representativas do capital da companhia enviará à companhia, que, por sua vez, enviará à CVM, à BM&FBOVESPA e a outras bolsas de valores e entidades do mercado de balcão organizado nos quais os valores mobiliários da companhia sejam admitidos à negociação, declaração contendo as informações exigidas no Anexo C da POLÍTICA.

6.1.1. Estão igualmente obrigados à divulgação das mesmas informações a pessoa ou grupo de pessoas representando um mesmo interesse, titular de participação acionária igual ou superior ao percentual de 5% (cinco por cento), cada vez que a referida participação se eleve em 5% (cinco por cento) da espécie ou classe de ações representativas do capital social da companhia.

6.1.2. As obrigações previstas nos subitens 6.1 e 6.1.1 se estendem também à aquisição de quaisquer direitos sobre as ações, bônus de subscrição, opções de compra de ações e direitos de subscrição de ações, bem como debêntures conversíveis em ações.

6.1.3. As pessoas mencionadas no subitem 6.1 também deverão informar a alienação ou a extinção de ações e demais valores mobiliários mencionados neste item 6, ou de direitos sobre eles, cada vez que a participação do titular na espécie ou classe dos valores mobiliários em questão atingir o percentual de 5% (cinco por cento) do total dessa espécie ou classe e a cada vez que tal participação se reduzir em 5% (cinco por cento) do total da espécie ou classe.

6.1.4. Nos casos em que a aquisição resultar ou tiver sido efetuada com o objetivo de alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia, bem como nas hipóteses em que a aquisição gerar a obrigação de realizar oferta pública, nos termos da regulamentação aplicável, o adquirente deverá, ainda, promover a divulgação, no mínimo, pelos mesmos canais de comunicação habitualmente adotados pela companhia, contendo as informações exigidas no Anexo C da POLÍTICA.

6.1.5. As comunicações referidas neste item 6 deverão ser feitas imediatamente após a consumação dos eventos aqui previstos ao órgão encarregado dos assuntos corporativos, bem como a atualização do Formulário de Referência em 7 (sete) dias úteis a partir da data de ocorrência.

7. ADESÃO À POLÍTICA

Forma de adesão e órgão responsável

7.1. As Pessoas Vinculadas deverão aderir à POLÍTICA mediante assinatura de termo próprio, conforme Anexo D, no ato da contratação, eleição, promoção ou transferência, em que declararão que conhecem todos os termos da POLÍTICA e que se obrigam a observá-los.

7.1.1. Os diretores, mediante solicitação mensal do compliance, são responsáveis por indicar os funcionários integrantes de suas respectivas diretorias que deverão aderir à POLÍTICA, em atenção a letra "c" do subitem 2.1, nos casos em que julgarem necessário.

7.1.2. A adesão das pessoas mencionadas nas letras "a", "b" e "d" do subitem 2.1 ficará a cargo do órgão encarregado dos assuntos corporativos, o qual informará o compliance.

7.1.3. A adesão das pessoas mencionadas na letra "f" do subitem 2.1 é de responsabilidade da diretoria contratante que deverá identificar se o contratado será aderente a esta POLÍTICA. Caso seja necessária a adesão, a diretoria contratante deverá certificar-se da inclusão de cláusula contratual, no contrato celebrado com o contratado, que sujeite tal contratado (e seus funcionários) a observar as diretrizes desta POLÍTICA. A cláusula contratual deve, ainda, conter menção expressa às sanções nos casos de violação da POLÍTICA, nos termos da letra "c" do subitem 9.1.1. Na ausência de contrato, deverá exigir do contratado a assinatura de termo de adesão para terceiros (conforme Anexo D) em que se obrigue com as diretrizes desta POLÍTICA, conforme definido pelo Comitê de Ética, Divulgação e Negociação.

7.1.4. As adesões efetuadas na forma dos subitens 7.1.3 serão imediatamente comunicadas ao compliance, que manterá cadastro centralizado e atualizado de todas as pessoas que aderirem à POLÍTICA, e que será responsável pela disponibilização desse cadastro aos órgãos competentes, quando solicitado.

8. CONTROLADAS

Política de Negociação das empresas controladas

8.1. As empresas abertas que sejam controladas unicamente pela companhia e que não tenham política de negociação de valores mobiliários própria deverão aderir a esta POLÍTICA, sendo que as regras aqui previstas serão aplicáveis à negociação dos valores mobiliários de cada uma das referidas empresas. Uma vez feita tal adesão, os termos constantes desta POLÍTICA serão considerados como sendo a política de negociação destas empresas, nos termos da Instrução CVM nº 358, de 3 de janeiro de 2002, alterada.

8.2. As pessoas que aderirem a esta POLÍTICA ficarão sujeitas também a tais regras para negociação de valores mobiliários das empresas que sejam controladas unicamente pela companhia.

9. VIOLAÇÃO DA POLÍTICA

Sanções

9.1. O descumprimento da POLÍTICA sujeitará o infrator a sanções disciplinares, de acordo com as normas internas da companhia e as previstas neste item, sem prejuízo das sanções administrativas, civis e penais cabíveis.

9.1.1. Caberá ao Comitê de Ética, Divulgação e Negociação apurar os casos de violação da POLÍTICA, observando o seguinte:

a) às Pessoas Vinculadas referidas na letra "a" e "b" do subitem 2.1 serão aplicadas as sanções deliberadas pelo Conselho de Administração da companhia, após apuração e encaminhamento pelo Comitê de Ética, Divulgação e Negociação;

b) às pessoas referidas na letra "c" do subitem 2.1 serão aplicáveis as sanções de advertência, suspensão ou dispensa por justa causa, conforme a gravidade da infração; e

c) a infração praticada por qualquer das pessoas referidas na letra "f" do subitem 2.1 caracterizará inadimplemento contratual, podendo a companhia, sem qualquer ônus, rescindir o respectivo contrato e exigir o pagamento da multa nele estabelecida, sem prejuízo das perdas e danos.

9.1.2. O Comitê de Ética, Divulgação e Negociação deverá informar ao Conselho de Administração todas as infrações praticadas.

Comunicação de violação

9.2. Qualquer pessoa que aderir à POLÍTICA e tiver conhecimento de sua violação deverá, incontinenti, comunicar o fato ao Comitê de Ética, Divulgação e Negociação.

____________________________

 

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A.

ANEXO A
CALENDÁRIO PARA O ANO 2017

Contempla períodos de restrição para negociação de valores mobiliários, ou a eles referenciados, decorrentes de eventos periódicos (DFP e ITR).

SOCIEDADES EMISSORAS EVENTOS PERIÓDICOS PERÍODOS DE RESTRIÇÃO PARA
NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS
DATA DE DIVULGAÇÃO
DOS RESULTADOS
ITAÚSA Balanço/DFP 31.12.2016 23.01.2017 a 14.02.2017 14.02.2017
ITR – 1º trim/2017 18.04.2017 a 05.05.2017 05.05.2017
ITR – 2º trim/2017 17.07.2017 a 08.08.2017 08.08.2017
ITR – 3º trim/2017 16.10.2017 a 07.11.2017 07.11.2017
ITAÚ UNIBANCO Balanço/DFP 31.12.2016 23.01.2017 a 07.02.2017 07.02.2017
ITR – 1º trim/2017 18.04.2017 a 03.05.2017 03.05.2017
ITR – 2º trim/2017 17.07.2017 a 01.08.2017 01.08.2017
ITR – 3º trim/2017 16.10.2017 a 31.10.2017 31.10.2017
INVESTIMENTOS BEMGE
e DIBENS LEASING
Balanço/DFP 31.12.2016 23.01.2017 a 10.02.2017 10.02.2017
ITR – 1º trim/2017 18.04.2017 a 08.05.2017 08.05.2017
ITR – 2º trim/2017 17.07.2017 a 04.08.2017 04.08.2017
ITR – 3º trim/2017 16.10.2017 a 06.11.2017 06.11.2017
ITAÚ CORPBANCA Informações Mensais – Dezembro/2016 27.12.2016 a 11.01.2017 11.01.2017
Informações Mensais – Janeiro/2017 26.01.2017 a 10.02.2017 10.02.2017
ITR – Ano Completo 2016 10.02.2017 a 27.02.2017 27.02.2017
Informações Mensais – Fevereiro/2017 23.02.2017 a 10.03.2017 10.03.2017
Informações Mensais – Março/2017 28.03.2017 a 12.04.2017 12.04.2017
ITR – 1º trim/2017 13.04.2017 a 28.04.2017 28.04.2017
Informações Mensais – Abril/2017 26.04.2017 a 11.05.2017 11.05.2017
Informações Mensais – Maio/2017 26.05.2017 a 12.06.2017 12.06.2017
Informações Mensais – Junho/2017 27.06.2017 a 12.07.2017 12.07.2017
ITR – 2º trim/2017 14.07.2017 a 31.07.2017 31.07.2017
Informações Mensais – Julho/2017 26.07.2017 a 10.08.2017 10.08.2017
Informações Mensais – Agosto/2017 28.08.2017 a 12.09.2017 12.09.2017
Informações Mensais – Setembro/2017 27.09.2017 a 12.10.2017 12.10.2017
ITR – 3º trim/2017 16.10.2017 a 31.10.2017 31.10.2017
Informações Mensais – Outubro/2017 27.10.2017 a 13.11.2017 13.11.2017
Informações Mensais – Novembro/2017 28.11.2017 a 13.12.2017 13.12.2017
DURATEX Balanço/DFP 31.12.2016 24.01.2017 a 09.02.2017 08.02.2017
ITR – 1º trim/2017 12.04.2017 a 27.04.2017 26.04.2017
ITR – 2º trim/2017 18.07.2017 a 03.08.2017 02.08.2017
ITR – 3º trim/2017 12.10.2017 a 30.10.2017 27.10.2017
ELEKEIROZ Balanço/DFP 31.12.2016 17.01.2017 a 01.02.2017 01.02.2017
ITR – 1º trim/2017 18.04.2017 a 03.05.2017 03.05.2017
ITR – 2º trim/2017 18.07.2017 a 02.08.2017 02.08.2017
ITR – 3º trim/2017 17.10.2017 a 01.11.2017 01.11.2017
ITAUTEC Balanço/DFP 31.12.2016 16.01.2017 a 31.01.2017 31.01.2017
ITR – 1º trim/2017 10.04.2017 a 25.04.2017 25.04.2017
ITR – 2º trim/2017 17.07.2017 a 01.08.2017 01.08.2017
ITR – 3º trim/2017 16.10.2017 a 31.10.2017 31.10.2017

 

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A.

ANEXO B
 
FORMULÁRIO INDIVIDUAL

Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas – Art. 11 – Instrução CVM nº 358/2002

Em .....(mês/ano)

(    ) ocorreram somente as seguintes operações com valores mobiliários (ou a eles referenciados) e derivativos, de acordo com o artigo 11 da Instrução CVM nº 358/2002.(1)

(    ) não foram realizadas operações com valores mobiliários (ou a eles referenciados) e derivativos, de acordo com o artigo 11 da Instrução CVM nº 358/2002, sendo que possuo as seguintes posições de valores mobiliários (ou a eles referenciados) e derivativos.

 

Denominação da Companhia:
Nome: CPF/CNPJ:
Qualificação:
Saldo Inicial
Valor Mobiliário ou a ele referenciado/ Derivativo Características dos Títulos (2) Quantidade % de participação
Mesma Espécie/ Classe Total
         
         
Movimentações
Valor Mobiliário ou a ele referenciado/ Derivativo Características dos Títulos (2) Intermediário Operação(3) Dia Quantidade Preço Volume (R$) (4)
      Compra        
      Total Compras        
      Venda        
      Total Vendas        
Saldo Final
Valor Mobiliário ou a ele referenciado/ Derivativo Características dos Títulos (2) Quantidade % de participação
Mesma Espécie/ Classe Total
         
         

 

 

Denominação da Controladora:
Nome: CPF/CNPJ:
Qualificação:
Saldo Inicial
Valor Mobiliário ou a ele referenciado / Derivativo Características dos Títulos (2) Quantidade % de participação
Mesma Espécie/ Classe Total
         
         
Movimentações
Valor Mobiliário ou a ele referenciado / Derivativo Características dos Títulos (2) Intermediário Operação(3) Dia Quantidade Preço Volume (R$) (4)
      Compra        
      Total Compras        
      Venda        
      Total Vendas        
Saldo Final
Valor Mobiliário ou a ele referenciado / Derivativo Características dos Títulos (2) Quantidade % de participação
Mesma Espécie/ Classe Total
         
         

 

 

Denominação da Controlada:
Nome: CPF/CNPJ:
Qualificação:
Saldo Inicial
Valor Mobiliário ou a ele referenciado / Derivativo Características dos Títulos (2) Quantidade % de participação
Mesma Espécie/ Classe Total
         
         
Movimentações
Valor Mobiliário ou a ele referenciado / Derivativo Características dos Títulos (2) Intermediário Operação(3) Dia Quantidade Preço Volume (R$) (4)
      Compra        
      Total Compras        
      Venda        
      Total Vendas        
Saldo Final
Valor Mobiliário ou a ele referenciado / Derivativo Características dos Títulos (2) Quantidade % de participação
Mesma Espécie/ Classe Total
         
         

 

(1)     Ao preencher o formulário, excluir as linhas que não contenham informação.
(2)     Emissão/série, conversível, simples, prazos, garantias, espécie/classe, etc.
(3)     Indicar forma de aquisição ou alienação.
(4)     Quantidade vezes preço.

____________________________

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A.

ANEXO C
D E C L A R A C Ã O

 

Eu,..................(nome e qualificação, incluindo número do CPF ou CNPJ, conforme aplicável) ............................................. na qualidade de ........................................................................, DECLARO, em cumprimento à disciplina da Instrução nº 358/02, alterada, que ................................................................................ (adquiri/alienei ações/ bônus de subscrição/opções de compra de ações / direitos de subscrição de ações) de emissão da ITAÚSA – INVESTIMENTOS ITAÚ S.A., tendo ...................(atingido/elevado ou diminuído/extinguido)............ em ..........% minha participação ............... (direta ou indireta), correspondente a ....................... (ações/bônus de subscrição/opções de compra de ações / direitos de subscrição de ações) .................. representativas do capital social da ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A., conforme abaixo descrito:

I – Objetivo de minha participação e quantidade visada:


 

[    ] – Declaro que a aquisição por mim efetuada não objetiva alterar a composição do controle da companhia ou a sua estrutura administrativa. (Assinalar, conforme aplicável)

II – Número de ações, bônus de subscrição, bem como de direitos de subscrição de ações e de opções de compra de ações, por espécie e classe, já detidos, direta ou indiretamente, por mim ou pessoa a mim ligada:


 

III – Indicar qualquer acordo ou contrato regulando o exercício do direito de voto ou a compra e venda de valores mobiliários de emissão da companhia:


 

Assumo, outrossim, o compromisso de comunicar imediatamente ao órgão encarregado dos assuntos corporativos qualquer alteração nas posições ora informadas que representem elevação ou diminuição em 5% da espécie ou classe de ações representativas do capital social da companhia.

..................., de .................. de ............

..........................................................................

____________________________

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A.

ANEXO D
TERMO DE ADESÃO PARA CONTROLADORES, ADMINISTRADORES E INTEGRANTES DE ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS

.....................................[nome e CPF].................................., abaixo assinado, na qualidade de pessoa sujeita à observância da Instrução CVM nº 358/02, alterada, adere às POLÍTICAS DE DIVULGAÇÃO DE ATOU OU FATO RELEVANTE e de NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO da ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A. e de suas controladas ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A., INVESTIMENTOS BEMGE S.A., DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL, DURATEX S.A., ELEKEIROZ S.A. e ITAUTEC S.A. – GRUPO ITAUTEC, das quais neste ato recebe cópia.

Declara conhecer os seus termos e obriga-se a observá-las integralmente.

Declara também:

1) ter ciência de que as datas previstas no Anexo A da Política de Negociação de Valores Mobiliários serão fixadas anualmente; e

2) que eventual infração decorrente de violação das Políticas de Divulgação de Ato ou Fato Relevante e de Negociação de Valores Mobiliários ocasionará a aplicação das seguintes medidas:

(i) sanção de advertência nas duas primeiras infrações (sendo configurada reincidência na segunda infração); e

(ii) dependendo da gravidade da infração, sanção deliberada pelo Conselho de Administração da companhia.

..................., .......... de ................... de ..........

____________________________

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A.

ANEXO D
TERMO DE ADESÃO PARA FUNCIONÁRIOS

.....................................[nome e CPF].................................., abaixo assinado, na qualidade de pessoa sujeita à observância da Instrução CVM nº 358/02, alterada, adere às POLÍTICAS DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE e de NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO da ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A. e de suas controladas ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A., INVESTIMENTOS BEMGE S.A., DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL, DURATEX S.A., ELEKEIROZ S.A. e ITAUTEC S.A. – GRUPO ITAUTEC, das quais neste ato recebe cópia.

Declara conhecer os seus termos e obrigo-me a observá-las integralmente.

Declara também, ter ciência de que as datas previstas no Anexo A da Política de Negociação de Valores Mobiliários da companhia serão fixadas anualmente.

..................., .......... de ................... de ..........

___________________________

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A.

ANEXO D
TERMO DE ADESÃO PARA TERCEIROS

.....................................[razão social/nome e CNPJ/CPF]....................., abaixo assinado, na qualidade de pessoa sujeita à observância da Instrução CVM nº 358/02, alterada, adere às POLÍTICAS DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE e de NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO da ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A. e de suas controladas ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A., INVESTIMENTOS BEMGE S.A., DIBENS LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL, DURATEX S.A., ELEKEIROZ S.A. e ITAUTEC S.A. – GRUPO ITAUTEC, das quais neste ato recebe cópia.

Declara conhecer os seus termos e obriga-se a observá-las integralmente.

Compromete-se a divulgá-las aos seus funcionários, prepostos e colaboradores, envolvidos na prestação dos serviços e a todos os que sejam subcontratados pelo Conveniado (caso aplicável), em conformidade com os respectivos contratos de prestação de serviços ou similares celebrados entre as Partes.

Compromete-se ainda a zelar para que as pessoas mencionadas no parágrafo anterior observem integralmente as políticas, respondendo solidariamente com elas na hipótese de descumprimento de qualquer de suas disposições.

Declara também:

1) ter ciência de que as datas previstas no Anexo A da Política de Negociação de Valores Mobiliários serão fixadas anualmente; e

2) que eventual infração decorrente de violação das Políticas de Divulgação de Ato ou Fato Relevante e de Negociação de Valores Mobiliários ocasionará a aplicação das seguintes medidas:

(i) sanção de advertência nas duas primeiras infrações (sendo configurada reincidência na segunda infração); e

(ii) possibilidade de a companhia, sem qualquer ônus, rescindir o contrato que originou esta adesão e exigir o pagamento da multa nele estabelecida, sem prejuízo das perdas e danos.

..................., .......... de ................... de ..........

___________________________