Gestão para a Sustentabilidade


A preocupação com os impactos ambientais, o apoio ao desenvolvimento social e dos colaboradores e a geração de valor estão presentes em todos os planos de ações executados conforme as necessidades de cada companhia. Um dos indicadores de êxito dessa estratégia foi alcançado ao longo de 2015, com a participação da Itaúsa, da Duratex e do Itaú Unibanco na carteira 2015/2016 do Dow Jones Sustainability World Index (DJSI), referência de empresas com elevados padrões de gestão da sustentabilidade. Apenas seis empresas brasileiras fazem parte desse seleto grupo, e entre elas estão as três empresas elegíveis do Conglomerado. Além disso, o relatório anual e de sustentabilidade publicado em 2016, com informações referentes a 2015, foi publicado pelo Itaú Unibanco, Duratex e Elekeiroz de acordo com os critérios da Global Reporting Initiative (GRI), padrão internacionalmente reconhecido e aceito para a prestação de contas e comparabilidade das informações das organizações. O último relatório anual da Itaúsa foi publicado em 2016, com informações de 2015 e segue a versão GRI-G4 das diretrizes da GRI, com abordagem abrangente, em que são relatadas informações de perfil e governança da holding, bem como mudanças referentes ao porte, à estrutura e à participação acionária da organização.

 
Down Jones Sustainability Indices Índices de Sustentabilidade Empresarial 2016
   
Índice Carbono Eficience
 

Sustentabilidade nas empresas do Conglomerado

Exemplo do alinhamento das práticas de gestão entre controladas e Itaúsa é o fato de quatro companhias terem realizado, em momentos pertinentes às suas estratégias de atuação, encontros com especialistas nos quais discutiram e identificaram os temas mais importantes para seus negócios, mostrando a disposição para o diálogo aberto e transparente com os públicos de relacionamento.

 

Duratex

A Duratex utiliza referenciais de mercado – como os indicadores Ethos, Global Reporting Initiative (GRI), Carbon Disclosure Project (CDP), Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e Dow Jones Sustainability World Index (DJSI) – para aprimorar sua gestão. Para a Duratex, o compromisso com a sustentabilidade está diretamente relacionado à perenidade de seus negócios. Na prática, esse comprometimento se traduz em um modo mais abrangente de pensar o negócio, que contempla: utilizar critérios socioambientais e culturais e na tomada de decisão, estabelecer diálogo com os principais públicos e analisar o todo, com foco no curto, médio e longo prazo.

Possui um Comitê de Sustentabilidade que tem um papel ativo na definição do posicionamento estratégico de sustentabilidade das unidade de negócio. Adicionalmente, a Companhia inclui metas relacionadas à sustentabilidade na remuneração variável de seus executivos, medindo os resultados alcançados anualmente.

A Duratex realiza inventário de emissões de gases de efeito estufa e, com base nos relatórios, adota medidas de redução de emissões na companhia. Conta também com sistemas de gestão ambiental de cinco plantas e mantém a certificação com base nas diretrizes da norma NBR ISO 14001:04. Além disso, o gerenciamento das informações sobre meio ambiente e segurança é feito com maior controle e confiabilidade por meio dos módulos Emissions Management e EHS do SAP.

 

Elekeiroz

A Elekeiroz participa de diversas entidades nacionais e internacionais com o objetivo de fomentar o desenvolvimento sustentável do setor. Dentre elas, destaca-se a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO), a parceria com a Childhood Brasil, aliada ao Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, dentre outras. Por meio desse envolvimento, a companhia amplia e fortalece o debate sobre temas de alta relevância para garantir o desempenho rentável, a operação eficiente e a entrega satisfatória de resultados a seus clientes e acionistas.

Ciente de sua responsabilidade como indústria química, a Elekeiroz estimula o crescimento de seus negócios sem causar danos ao meio ambiente e às regiões nas quais mantém plantas industriais. A empresa está sempre atenta aos seus processos produtivos, ao tratamento de efluentes, à busca por fontes renováveis e por uso racional dos recursos naturais, desenvolvendo assim suas atividades de forma permanentemente sustentável.

Anualmente, a Elekeiroz realiza inventário de emissões de gases de efeito estufa, bem como levantamento de geração de resíduos sólidos, água consumida em processos e produtos, dentre outros levantamentos de indicadores de eficiência. Monitora seus resultados, comparando a compatibilidade com os indicadores de eficiência utilizados pela Abiquim, que reúne cerca de 120 indústrias.

  

Itautec

Em mais de 35 anos de atuação no mercado de tecnologia, a Itautec desenvolveu uma gestão estratégica focada na minimização dos impactos ambientais e apoiada em programas de desenvolvimento social e valorização dos colaboradores, pautando sua atuação na geração de valor à sociedade por meio de ações de incentivo a saúde, o bem-estar, a consciência da preservação ambiental, a educação, a cultura e outros aspectos que visam beneficiar os públicos de relacionamento.

Entre as iniciativas da Companhia para minimizar os impactos ambientais resultantes de suas operações estão o monitoramento do consumo de água e de energia elétrica, a gestão de resíduos e reciclagem, bem como o monitoramento das emissões atmosféricas na unidade de Jundiaí (SP).

Em 2006, foi implementado o processo de fabricação livre de chumbo e substâncias químicas nocivas ao meio ambiente. Tal postura resultou, em 2012, na certificação das linhas de desktops, notebooks e monitores comercializados com a marca Itautec com base na diretiva Restriction of Certain Hazardous Substances (RoHS), da Comunidade Europeia, que restringe o uso de substâncias químicas nocivas na fabricação dos equipamentos.

  

Itaú Unibanco S.A.

Por meio de um extenso trabalho de avaliação e diagnóstico das expectativas dos públicos com os quais a empresa se relaciona, de sua missão e de seus valores, o Itaú Unibanco desenvolveu um mapa estratégico para nortear a sua gestão da sustentabilidade. Os focos estratégicos de atuação da Companhia em sustentabilidade criados em 2012 são “educação financeira”, “diálogo e transparência” e “riscos e oportunidades socioambientais”. Os focos estratégicos estão inseridos no Mapa de Sustentabilidade e orienta as diversas unidades operacionais do banco e de negócio na incorporação de valores de sustentabilidade em seus processos de tomada de decisão. Mais do que criar novos produtos, a meta consiste em ajustar as operações para atingir um crescimento sustentável, bem como minimizar riscos, encontrar vantagens competitivas e gerar receita em um contexto de demanda para uma gestão adequada dos impactos socioambientais.

Essa visão de sustentabilidade de longo prazo tem evoluído e sido incorporada em diferentes unidades de negócio do banco, por meio da análise sistêmica de indicadores e da avaliação de resultados. Além disso, o banco incorpora os parâmetros do Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI, na sigla em inglês) e do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa, como ferramentas para avaliar as áreas em que tiveram avanços e outras que ainda exigem ações de melhoria.

Esses pilares norteiam a atuação da holding e suas controladas desde o desenvolvimento de novos produtos e serviços até o investimento realizado em ações culturais e sociais por meio da Fundação Itaú Social, do Instituto Unibanco e do Instituto Itaú Cultural. Entre as iniciativas desenvolvidas, destacam-se a incorporação de critérios socioambientais para análise e avaliação de concessão de crédito para grandes projetos no Itaú BBA, a adesão a pactos voluntários – como os Princípios para Sustentabilidade em Seguros (PSI) e os Princípios para o Investimento Responsável (PRI) – e diversas iniciativas para promover a educação financeira de clientes e da sociedade em geral, ajudando a melhorar a relação das pessoas com o dinheiro.